segunda-feira, 1 de março de 2021

Sumo de couve, maçã, batata-doce e gengibre e uma aprendizagem

 Após alguns meses de intolerâncias cá em casa e dores de barriga / moinhas, algum desconforto, sensação de queimação na barriga, sensação de enfartamento depois de comer e depois de uma endoscopia e uma colonoscopia chegou o veredito. O meu marido teve Bactéria H. Pylori e como consequência Gastrite Crónica Ligeira. Já fez o tratamento para a erradicação da bactéria, mas o resultado da mesma só no início de abril e depois de fazer o teste da respiração. Esperemos mesmo que a mesma tenha ido embora. 

Os sintomas continuam e a nível psicológico estar constante com sintomas é muito chato e desmotivante. Dia após dia, hora após hora... O tratamento para a erradicação da bactéria é forte e sabemos de pessoas que não conseguem acabar o tratamento... São 140 comprimidos em 10 dias e muitos efeitos secundários. Não é fácil.

Por isso e como tudo na vida há que Aprender, Desaprender e Reaprender. Digo isto porque estamos a aprender uma nova forma de nos alimentarmos e de equilibrar o PH que com isto tudo ficou bem desequilibrado, está ácido. E equilibrar não é nada fácil nem de um dia para o outro. 

Dizem que não há alimentos proibidos, mas descobrir o que é melhor para ele quando cá em casa se comia de tudo, e no geral sempre levámos uma alimentação saudável não é fácil.

Recomenda-se menos glúten, menos lactose, menos açúcar (nem um bolo por semana fazíamos), menos processados (coisa esporádica cá em casa) não é fácil. Eu sempre gostei de experimentar novas receitas, novos ingredientes, mas o meu marido há coisas que não gosta e eu fazia para mim. Pelo menos trocou o pão branco pelo integral, bem sei que tem glúten, mas o caminhada tem de se fazer gradualmente e não de uma vez só. O café também não é recomendável, por ser algo extremamente ácido para o organismo, mas ele também não gosta (só eu). Recomenda-se também a ingestão principalmente de cozidos, grelhados ou assados. É importante também não estar mais de 3h sem comer, por isso agora é pequeno-almoço, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e lanche da noite como lhe chamo cá em casa (a ceia). Além disso é recomendado descanso e pouco ou nenhum stress, um dos piores inimigos do estomago.

Acabámos por falar com algumas pessoas e conhecer certos testemunhos. Muitos dizem que comem tudo, outros que são menos tolerantes à pimenta, à laranja, aos refogados e outros não são intolerantes a nada. 

Acredito e penso que depois de equilibrar o PH do organismo que os sintomas da gastrite desaparecem e podem ocorrer com alguma crise, mas nada de especial. Espero! Até lá ainda temos um caminho para percorrer.

Para minimizar os sintomas temos recorrido a algumas mezinhas caseiras, como o chá de espinheira santa (3x dia 30 minutos antes do pequeno almoço, antes do almoço e antes do jantar). Já experimentámos também sumo de batata doce e mais recentemente faço-lhe este sumo que hoje partilho aqui.



Ingredientes:

  • 1 rodela de batata-doce
  • 1 folha de couve 
  • 1 tira pequena de gengibre fresco (cerca de 2mm/3mm)
  • 1/4 de uma maçã
  • 1 Copo de água (uso alcalina ou filtrada)
- Preparação:
- Lave bem a folha da couve (tanto uso couve coração como lombarda ou outra). Corte-a em pedaços. Lave bem e descasque a rodela de batata doce, o quarto de maçã. Coloque tudo no liquidificador e junto o pedaço de gengibre descascado. Junte a água e triture tudo. Coe e sirva de seguida.
- Beba de imediato.






1 comentário:

  1. Sumo de couve? Nunca tinha ouvido falar. Sumo de batata doce tamão não. A vida é, sem dúvida, feita de uma constante aprendizagem. Desejos de rápidas melhoras para o seu esposo. Acredito que, como seu carinho, a sua vida (do marido) será muito mais fácil e aprazível.
    .
    Abraço - e um dia feliz
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar