segunda-feira, 1 de março de 2021

Sumo de couve, maçã, batata-doce e gengibre e uma aprendizagem

 Após alguns meses de intolerâncias cá em casa e dores de barriga / moinhas, algum desconforto, sensação de queimação na barriga, sensação de enfartamento depois de comer e depois de uma endoscopia e uma colonoscopia chegou o veredito. O meu marido teve Bactéria H. Pylori e como consequência Gastrite Crónica Ligeira. Já fez o tratamento para a erradicação da bactéria, mas o resultado da mesma só no início de abril e depois de fazer o teste da respiração. Esperemos mesmo que a mesma tenha ido embora. 

Os sintomas continuam e a nível psicológico estar constante com sintomas é muito chato e desmotivante. Dia após dia, hora após hora... O tratamento para a erradicação da bactéria é forte e sabemos de pessoas que não conseguem acabar o tratamento... São 140 comprimidos em 10 dias e muitos efeitos secundários. Não é fácil.

Por isso e como tudo na vida há que Aprender, Desaprender e Reaprender. Digo isto porque estamos a aprender uma nova forma de nos alimentarmos e de equilibrar o PH que com isto tudo ficou bem desequilibrado, está ácido. E equilibrar não é nada fácil nem de um dia para o outro. 

Dizem que não há alimentos proibidos, mas descobrir o que é melhor para ele quando cá em casa se comia de tudo, e no geral sempre levámos uma alimentação saudável não é fácil.

Recomenda-se menos glúten, menos lactose, menos açúcar (nem um bolo por semana fazíamos), menos processados (coisa esporádica cá em casa) não é fácil. Eu sempre gostei de experimentar novas receitas, novos ingredientes, mas o meu marido há coisas que não gosta e eu fazia para mim. Pelo menos trocou o pão branco pelo integral, bem sei que tem glúten, mas o caminhada tem de se fazer gradualmente e não de uma vez só. O café também não é recomendável, por ser algo extremamente ácido para o organismo, mas ele também não gosta (só eu). Recomenda-se também a ingestão principalmente de cozidos, grelhados ou assados. É importante também não estar mais de 3h sem comer, por isso agora é pequeno-almoço, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e lanche da noite como lhe chamo cá em casa (a ceia). Além disso é recomendado descanso e pouco ou nenhum stress, um dos piores inimigos do estomago.

Acabámos por falar com algumas pessoas e conhecer certos testemunhos. Muitos dizem que comem tudo, outros que são menos tolerantes à pimenta, à laranja, aos refogados e outros não são intolerantes a nada. 

Acredito e penso que depois de equilibrar o PH do organismo que os sintomas da gastrite desaparecem e podem ocorrer com alguma crise, mas nada de especial. Espero! Até lá ainda temos um caminho para percorrer.

Para minimizar os sintomas temos recorrido a algumas mezinhas caseiras, como o chá de espinheira santa (3x dia 30 minutos antes do pequeno almoço, antes do almoço e antes do jantar). Já experimentámos também sumo de batata doce e mais recentemente faço-lhe este sumo que hoje partilho aqui.



Ingredientes:

  • 1 rodela de batata-doce
  • 1 folha de couve 
  • 1 tira pequena de gengibre fresco (cerca de 2mm/3mm)
  • 1/4 de uma maçã
  • 1 Copo de água (uso alcalina ou filtrada)
- Preparação:
- Lave bem a folha da couve (tanto uso couve coração como lombarda ou outra). Corte-a em pedaços. Lave bem e descasque a rodela de batata doce, o quarto de maçã. Coloque tudo no liquidificador e junto o pedaço de gengibre descascado. Junte a água e triture tudo. Coe e sirva de seguida.
- Beba de imediato.






sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Arroz surpresa (com legumes e peru)

Uma sugestão simples, para por todos a comer legumes. Testado e aprovada esta ideia que surgiu da necessidade de algumas restrições que ainda nos acompanham cá em casa. Temos comido muitos grelhados e cozidos e muitas vezes acaba por ser um pouco monótono. Assim reinventámos um prato delicioso.



 Ingredientes:

  • 3 bifes de peru
  • 250gr de arroz basmati
  • Couve lombarda q.b.
  • 1 haste de aipo
  • 1 Cenoura (grande)
  • Sal q.b.
  • Pimenta q.b.
  • 4 Dentes de alho
  • Azeite extra virgem q.b.
  • Cominhos q.b. (opcional)
  • Tomilho (Dom Duarte)
  • 1 Ovo bio
  • Alga Kombu (opcional)

Preparação:
- Com a mandolina Borner rale a couve lombarda. A seguir com o descascador multifunções da Borner retire os fios à haste de aipo. Corte-o em rodelas finas com a mandolina Borner. Descasque a cenoura com o descascador multifunções da Borner e com este acessório também faça "lascas" de cenoura. 
- Leve ao lume um tacho com água e sal e um pouco de alga kombu. Tempere com sal. Quando a água estiver fervente junte as couves. Depois de cozidas escorra-as e reserve.
- Leve ao lume uma frigideira com azeite e dois dentes de alho picados. Quando estiverem dourados junte a carne cortada em tiras finas e pequenas, o aipo e a cenoura. Tempere a gosto com sal e pimenta. Polvilho com uns pozinhos de cominhos e tomilho. Envolva bem, tape e deixe cozinhar. Entretanto escorra a couve e junte-a ao preparado anterior. 
- Coloque um tacho ao lume com 2 dentes de alho picados e um fio de azeite extra virgem. Quando o alho estiver dourado junte o arroz e deixe fritar um pouco. Junte a água da cozedura das couves, mexa, tempere com uma pitada de sal (se necessário), tape e deixe cozinhar.
- Transfira para uma travessa de ir ao forno uma camada de arroz. Por cima coloque a carne com as couves, o aipo e a cenoura e finalize com outra camada de arroz.
- Bata um ovo e pincele por cima do arroz (só tinha um ovo em casa e por isso não ficou tão amarelinho. Leve ao forno até estar douradinho.
. Acompanhe com uma salada.













segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Pão de espelta e açafrão




 Ingredientes


  • 350gr de farinha de espelta Bio
  • 150gr de farinha de trigo
  • 1 Colher (de sopa) de farinha de linhaça moída
  • 1 Saqueta de fermento seco (4,60gr)
  • Sal marinho q.b.
  • 2gr de curcuma em pó Bio (Alegre-me)
  • Pimenta preta moída na hora q.b. (Obô Vanilla)
  • 330ml de água morna 

Preparação:
- Coloque na cuba da máquina de fazer pão as farinhas, a curcuma, o sal, a pimenta preta e o fermento. Por cima adicione a água morna.
- Programe a opção pão sem glúten. Na minha máquina demora 2h20m a amassar e a cozer. 
- Escolhi esta opção sem glúten para experimentar pois embora o pão originalmente contenha glúten, a máquina tem uma opção para eliminar o glúten (pelo que percebi elimina durante o tempo em que amassa o glúten - eu não sou intolerante, mas gosto muito de experimentar coisas novas).
- Ao fim das 2h20m o pão está prontinho e pronto a ser desenformado.
- Gulosa como sou tive de o partir quentinho e por isso o pão tem tendência a partir-se um pouco. Mas soube-me tão bem com uma fatia de queijo fresco. 
- Ficou delicioso 😛😛😛😛 Viciante, muito fofo e super saboroso.






quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

Peito de peru recheado com chouriço e camarões

Gosto muito de espetadas de peru. Às vezes já as compro feitas, mas outras vezes prefiro fazer eu a fazer e a montá-las. Às vezes trazem pedaços grandes de gordura e eu não gosto nada da carne assim.

Por isso pedi no talho um 450gr de peito de peru inteiro. A carne lá é muito boa e quando eu peço bifes finos, são finos mas não esfarrapados. São mesmo muito bons. Esta peça estava "aberta" ao meio, era para as espetadas, mas olhei para ela e vi lá um chouricinho. Mesmo a pedir para ser recheada. E assim foi.



Ingredientes:

  • 450gr peito peru
  • 1/2 chouriço caseiro
  • Camarões q.b. (Frip)
  • 1 Cebola
  • 3 Dentes de alho
  • Sal q.b.
  • Pimenta preta (Obô Vanilla)
  • Alecrim seco (Dom Duarte)
  • Azeite q.b.
  • Vinho branco q.b.
  • Salsa / Coentros frescos q.b.
Preparação:
- Pique a cebola e os dentes de alho e coloque-os num tacho juntamente com um fio de azeite. Adicione o chouriço. Refogue lentamente atá a cebola estar dourada.
- A seguir prepare a carne. Abra-a e tempere a gosto com sal e pimenta.  por cima coloque o chouriço já corado. Polvilhe com alecrim.
- Feche o peru e ate-o com fio de cozinha.
- Junte-o ao tacho com a cebola e os dentes de alho. Polvilhe com mais um pouco de alecrim, tape e deixe cozinhar. Entretanto descasque e junte os camarões à carne.
- A meio da cozedura adicione um pouco de vinho branco e um "gole" de água. Tape e deixe acabar de cozinhar.
- Retire a carne, elimine o fio e corte-a em fatias. Sirva a carne com folhinhas de salsa e coentros e acompanhe a gosto.








segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Pastéis de massa filó com maçã, amêndoas e canela

 Apesar de todas as restrições que temos tido cá em casa, o dia dos namorados mereceu um miminho simples, mas delicioso. Ficou bem estaladiço como gostamos e a combinação da maçã com a baunilha e a canela nunca falha.




Ingredientes:

  • 2 Folhas de massa filó
  • 2 Maçãs golden
  • 1 Colher (de chá) de essência de baunilha (Obô Vanilla)
  • Canela q.b. (Obô Vanilla)
  • Amêndoas q.b. (Transmontanos)
  • Passas q.b.
  • 1 Colher (de sopa) de açúcar mascavado
  • 1 Colher (de sopa) de manteiga magra
  • Açúcar em pó q.b.
Preparação:
- Num tacho coloque o açúcar e a manteiga. Deixe derreter e caramelizar um pouco.
- Comece por lavar e secar as maçãs. A seguir retire o caroço das mesmas. Descasque-as. Com a mandolina Borner faça cubos de maçã (escolhi os cubos maiores pois como a maçã vai ser cozinhada encolhe um pouco). Transfira a maçã para o tacho. Envolva e tape.
- Junte a essência de baunilha, a canela a gosto. Envolva e deixe cozinhar tapado.
- Pique as amêndoas grosseiramente com a ajuda de uma faca.
- Junte as amêndoas e as passas ao tacho, volte a mexer, tape e deixe cozinhar lentamente até a maçã estar molinha (mas não desfeita). Deixe arrefecer.
- Estique as folhas de massa filo. Corte-as ao meio. Coloque metade do recheio no meio da massa filo e na outra metade coloque a outra metade do recheio. (fiz 2 pastéis). Pincele com manteiga as pontas da massa filó e forme o pastel.
- Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC até estarem dourados.
- Deixe arrefecer um pouco e polvilhe com açúcar em pó.
- Sirva morninhos.


- Acompanhámos com sumo de frutos vermelhos diversos com um fio de agave e sementes de linhaça. Água (filtrada ou alcalina), liquidificador e já está.

















quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

Bacalhau assado com batatas a murro e brócolos



Há muito tempo que não comia bacalhau assado com batatas a murro. Adoro. Mas já não o fazia há algum tempo. Prepara-se em menos de nada e grelhadinho no grelhador da Haeger, a tarefa fica ainda mais facilitada. Aquece num instante, grelha depressa e lava-se muito facilmente. Fiz apenas uma posta de bacalhau pois era grande. Cortei-a ao meio e eliminei a espinha central ficando com dois belos lombos. Seja como for acabei por lascar o bacalhau porque o azeitinho neste prato é uma perdição. Estes últimos meses têm sido atípicos e devido a grandes restrições alimentares as nossas refeições têm sido "meio sem graça" e de vez em quando é preciso um miminho. E sim este prato tão simples acabou por ser um mimo para mim e principalmente para o meu marido, que tanto gosta de comer e que agora se tem privado tanto. A alga kombu que coloquei na água para cozer os brócolos

Ingredientes:

  • 1 Posta de bacalhau (grande)
  • Batatas q.b.
  • Brócolos q.b.
  • Azeite extra virgem q.b. (Transmontanos)
  • 8 Dentes de alho
  • Sal q.b.
  • Pimenta q.b.
  • Alga kombu q.b. (para cozer os brócolos)
Preparação:

- Lave bem as batatinhas. Seque- as. Transfira-as para um tabuleiro para ir ao forno. Polvilhe-as com sal e coloque-as no forno pré-aquecido a 180ºC cerca de meio hora.

- Ligue o grelhador. Quando estiver quente coloque os lombos de bacalhau.

- Coza os brócolos em água e sal (e um pouco de alga kombu).

- Numa caçarola adicione azeite a gosto. Adicione os alhos laminados e deixe-os corar lentamente.

- Entretanto dê um murro em cada batata.

- Lasque o bacalhau e sirva com as batatas a murro e os brócolos e regado com o azeite com os alhos.












quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

Pão caseiro do Jamie Oliver (Home Bread)

 Adoro o cheiro do pão em casa acabado de comer. Mas nem sempre temos tempo de o fazer. E mesmo em tempo de confinamento o meu tempo é muito limitado pois a minha atividade "obriga-me" a muitas horas de trabalho por dia, todos os dias. Mas sempre que posso lá faço pãozinho.

No outro dia estava a ver o Jamie Oliver a fazer o seu Home Bread, e decidi experimentá-lo. Ao contrário do "normal " que temos que meter as mãos na massa, aqui colocamos o garfo e só no fim as mãos. O resultado é um pão fofo e bem delicioso. Neste programa ele fez o dobro da minha receita pois fez um pão normal e um com recheio salgado. Eu fiz apenas um pois tinha 1/2 Kg de farinha de trigo biológica e não ia misturar com outra.




Ingredientes:

  • 1/2 Kg de farinha de trigo biológica
  • 1 Saqueta de fermento seco 4,6gr
  • 320ml de água morna
  • Sal q.b.

Preparação:
- Coloque a água morna numa taça larga. Junte a saqueta do fermento. 
- Mexa com um garfo cerca de 2 minutos até as bolhas se começarem a formar.
- Junte a farinha (deixe um pouco de lado para ir polvilhando)
- Continuar a misturar com um garfo e juntar uma pitada de sal. Mexer sempre com a ajuda do garfo e quando tiver o "aspeto de massa" coloque então as mãos na massa ainda na taça. Dê uns murros, amasse bem. Retire da taça, polvilhe com farinha e continue a amassar mais uns minutos. 
- Depois de bem amassada, forme uma bola e coloque numa taça. tapada com um pano durante 1h/1h30m, até duplicar de tamanho. 
- Após este tempo "dar um murro" na massa e amassar mais um pouco.
- Polvilhe um tabuleiro forrado com papel vegetal com farinha e deixe-o levedar mais 30 minutos a 1 hora.
- Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC cerca de 30 minutos ou até estar a gosto. 
- Bon apetit!